Compartilhar share

Projeto Mananciais conquista Prêmio Expressão de Ecologia

Publicado em 14/03/2022 às 14:39 - Atualizado em 22/04/2022 às 09:06

O Projeto Mananciais da Amvali, foi um dos vencedores do 28º Prêmio Expressão de Ecologia (2022-2021) na categoria Recuperação de áreas degradadas.

O Prêmio Expressão de Ecologia é a premiação ambiental mais importante e longeva do Brasil, que conta com o reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente e tem o objetivo de divulgar as principais ações de sustentabilidade e incentivar a replicabilidade dessas iniciativas.

Nesta 28ª Edição, 198 projetos foram inscritos dos três estados do Sul e ainda São Paulo, destes, 19 foram vencedores.

A Amvali, receberá o Troféu Onda Verde do Prêmio Expressão de Ecologia durante o Fórum de Gestão Sustentável 2022, que acontecerá no dia 27 de maio em Florianópolis.

 

Sobre o Projeto Mananciais:

O projeto tem como objetivo a recuperação florestal das Áreas de Preservação Permanentes (APPs) (matas ciliares) de nascentes e cursos d’água de pequenas propriedades rurais de agricultura familiar, localizadas na Bacia Hidrográfica do Rio Itapocu, região nordeste catarinense, que abrange os municípios de Jaraguá do Sul, Corupá, Schroeder, Massaranduba, Barra Velha, Guaramirim e São Bento do Sul.

Os beneficiários diretos do projeto são os proprietários de pequenas propriedades rurais e de agricultura familiar, localizadas em áreas de mananciais, ou seja, áreas a montante da captação de água para o abastecimento público. A recuperação das APPs dessas áreas de mananciais visa a ofertar e proteger água de qualidade e em quantidade para a região. Além disso, o projeto oferece ao proprietário rural e agricultor a possibilidade de regularização ambiental de sua propriedade, conforme preconiza o novo Código Florestal Brasileiro pela Lei nº 12.651/2012.

 

Os resultados:

120 termos de compromisso assinados com agricultores ou proprietários de imóveis rurais;

82 propriedades rurais que já tiveram APPs recuperadas;

35 ha de mata ciliar recuperados;

13.000 mudas de árvores nativas plantadas

82 diferentes espécies florestais arbóreas utilizadas;

1.500 m de cercamento;

23 reuniões com entidades representativas de agricultores (associações, cooperativas, conselhos) e nas próprias comunidades dos municípios do Vale do Itapocu;

32 palestras em escolas rurais com palestras de educação ambiental sobre a importância das matas ciliares, com entrega de material educativo e dinâmicas;

3.000 alunos e professores capacitados sobre a importância da preservação e recuperação das matas ciliares;

600 visitas em propriedades rurais.